Passivo trabalhista: o que é e como evitar - Blog Progresso Contabilidade Passivo trabalhista: o que é e como evitar - Blog Progresso Contabilidade

Passivo trabalhista: o que é e como evitar

Empresário analisando dados e informações da empresa para não ficar com passivo trabalhista

Passivo trabalhista: o que é e como evitar

O passivo trabalhista surge quando o empregador deixa de honrar suas obrigações. É o caso de não pagar o salário, os encargos sociais e os benefícios obrigatórios. A questão é que, em quantidade, ele interfere nos resultados da empresa.

Portanto, o primeiro passo para garantir o desenvolvimento sustentável do seu negócio é evitar a existência desse fator. 

Como chegar a esse patamar? Explicaremos neste artigo e traremos dicas práticas. Continue lendo!

O que são passivos trabalhistas?

Um passivo trabalhista é a soma das dívidas de um empregador com um ou mais funcionários. A pessoa física ou jurídica deixa de cumprir suas obrigações trabalhistas e encargos, o que gera o ônus para o negócio.

Ainda existe outra situação: quando é realizada uma contratação irregular. Em qualquer um dos casos, há prejuízos à reputação e à imagem do negócio. Além do mais, o passivo trabalhista representa uma dificuldade para a gestão financeira da organização. 

Caso o empresário deixe passar muito tempo e a soma das dívidas chegue a um montante elevado, é possível ter um grande problema na hora de quitar os valores em aberto. O empregado ainda pode entrar na justiça e fazer a empresa sofrer a aplicação de uma multa.

Quais são os piores descumprimentos de passivo trabalhista?

Existem alguns fatores envolvidos no passivo trabalhista, confira agora os principais! 

Horas extras

A alta demanda de trabalho sem o pagamento das horas extras dos colaboradores gera o passivo trabalhista.

Acúmulos e desvios de funções

O registro inadequado dos trabalhadores leva a demandas judiciais. Ainda é o caso de profissionais com cargo e função idênticas e com remuneração diferente. 

Por isso, é fundamental deixar tudo anotado na carteira de trabalho para evitar questionamentos.

Vínculo empregatício

A existência de um contrato de prestação de serviços, mesmo que seja MEI, não isenta a empresa. Basta haver a caracterização de vínculo empregatício para que todas as demandas sejam pagas.

Demissões

A rescisão de contrato exige que a empresa tenha dinheiro suficiente para arcar com os pagamentos de acordo com a legislação.

Controle de ponto

A ineficiência no registro de entradas e saídas é outro ponto questionável na justiça. Há opções digitais, que são mais seguras.

Falta de conhecimento sobre a legislação

A empresa deve cumprir todos os pagamentos de férias, 13º salário, adicionais, etc. Os direitos trabalhistas nem sempre se limitam ao que está definido na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Existem acordos e convenções coletivas, que se sobrepõem à outra lei. Por isso, é importante conhecê-los.

Todas essas questões acontecem por falta de controle ou gestão inadequada. Como resultado, há impactos para a saúde organizacional e problemas para a reputação do negócio. 

Por isso, evitar o descumprimento desses aspectos exige planejamento, organização e conhecimento técnico. 

O que os passivos trabalhistas acarretam para o empresário?

Ter um passivo trabalhista coloca em xeque a segurança e a credibilidade da sua empresa. No entanto, seu acúmulo leva a impactos significativos, que vão das finanças à reputação.

Um dos principais problemas verificados com sua existência são as dificuldades para conseguir investimentos. Os interessados em alocar seu capital verificam todas as questões antes de tomarem suas decisões. As empresas que deixam de cumprir suas obrigações trabalhistas costumam ser deixadas em segundo plano. Isso ocorre porque elas tendem a ver o passivo crescer.

Com isso, há perda de oportunidades. Inclusive, afasta ofertas de compra e fornecedores, que podem deixar de vender ou oferecer condições mais favoráveis — já que haverá mais risco financeiro.

Além disso, a empresa pode ganhar a atenção pública de maneira desfavorável. Com a piora na reputação, há perda de clientes. Isso gera prejuízos à organização e há, novamente, impactos financeiros.

O faturamento começa a cair e se torna mais difícil manter o passivo trabalhista sob controle. Assim, as dívidas ficam acumuladas até ocasionarem a insolvência.

Como administrar o passivo trabalhista?

Como você pôde perceber, existem várias atitudes que geram as dívidas com os funcionários. Por isso, o objetivo de toda empresa deve sempre ser o de reduzir o passivo.

E para fazer isso é preciso garantir a adoção de boas práticas. Veja, a seguir, quais são as principais!

Tenha um controle de ponto maior 

Todos os aspectos da gestão devem ser devidamente organizados. No caso da administração do passivo de trabalho, é preciso garantir um bom controle de ponto.

A CLT e a Portaria 3.626/1991, do Ministério do Trabalho, determinam que todas as organizações com mais de 10 empregados devem marcar o ponto de forma precisa.

É importante identificar os horários de entrada e saída de cada colaborador para fazer o cálculo da folha de pagamento. Assim, os valores corretos são repassados e há redução do risco de dívidas trabalhistas.

Acione a prevenção jurídica

A área jurídica deve ser o mais eficiente possível para garantir o cumprimento da legislação trabalhista. Todos devem seguir as ações preventivas e as normas determinadas.

O setor jurídico também é capaz de repassar informações corretas sobre os direitos e deveres dos trabalhadores. Assim, você ajusta a rotina do negócio às exigências e reduz o risco de sofrer ações trabalhistas.

Trabalhe com uma folha de pagamento otimizada

O trabalho com a folha de pagamento deve ser preciso. Afinal, ela registra todos os valores a serem repassados aos trabalhadores e o cálculo do que é devido.

Com a automação permitida por um software específico para gestão da folha de pagamentos, todas as informações são otimizadas. Assim, há redução dos equívocos.

Além do mais, o sistema torna mais fácil a integração com outras ferramentas. Um exemplo é o com um sistema de controle de ponto. Isso leva a uma exatidão maior nos cálculos e à emissão dos recibos para assinatura dos colaboradores.

Outro ponto positivo é a conferência dos dados a serem calculados antes do fechamento. Com o software, essa etapa se torna desnecessária. Ao mesmo tempo, as informações ficam disponíveis a qualquer momento para fazer o fechamento.

Conte com um serviço especializado

Uma contabilidade especializada na área trabalhista realizará todas as rotinas de forma eficiente e com menos chances de erros. Entre os serviços disponíveis estão: 

  • registros e demissões;
  • folha de pagamento;
  • guias de impostos;
  • controle e acompanhamento de exames;
  • férias;
  • 13º salário;
  • provisões;
  • rescisões;
  • homologações.

Ao contratar esse serviço, você conta com uma empresa parceira que facilitará os seus processos. Assim, sua equipe tem tempo para executar atividades estratégicas, enquanto as operacionais são realizadas por um time especializado.

O resultado é a redução do passivo trabalhista. Como benefícios, sua empresa garante a boa reputação e consegue concentrar seus esforços no seu crescimento.

Então, que tal conhecer uma empresa de contabilidade comprometida com a evolução do seu negócio? Acesse o site da Progresso Contabilidade, conheça nossos serviços e descubra como nossa parceira pode te ajudar!