NFC-e: saiba a importância desse documento e como emiti-lo em sua empresa. Não fique fora dessa!

NFC-e: entenda o que é e quais as vantagens para a empresa

Um dos recursos implementados pelo Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) é o módulo de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e). O mecanismo automatiza a  transmissão e apuração de tributos de diversos documentos cotidianos importantes, como, por exemplo, a Nota Fiscal de Consumidor (NFC-e).

O SPED é um sistema de escrituração digital criado pelo governo federal com o Decreto 6.022/2007. Seu objetivo é receber, validar e armazenar, junto ao fisco, documentos contábeis e fiscais por meio da internet.

Saiba, nesse artigo, o que é e quais as vantagens da emissão da Nota Fiscal de Consumidor (NFC-e) para o seu negócio!

Nota fiscal eletrônica: documento imaterial

Uma nota fiscal eletrônica é um documento virtual que substitui o antigo documento de papel emitido numa operação comercial. Muitas vezes confundida com o DANFe, é importante frisar que se tratam de documentos distintos, conforme elucidado adiante:

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Documento eletrônico, do tipo XML, autenticado digitalmente, no qual estão registrados todos os metadados relevantes da operação comercial, conforme normatizado pelos órgãos competentes. Trata-se do documento oficial de uma transação comercial e dispõe de validade jurídica;

Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica (DANFe)

É a versão impressa e simplificada de uma nota fiscal eletrônica. Normalmente, é emitido para acompanhar fisicamente a mercadoria. Contém um código de acesso que permite conferir a validade da escrituração eletrônica por meio do portal Consulta Pública.

O que é a Nota Fiscal de Consumidor eletrônica (NFC-e)

Trata-se de um dos diferentes tipos de nota fiscal eletrônica em vigor atualmente. É emitida exclusivamente durante transações de vendas para entrega ou vendas presenciais destinadas ao consumidor final.

Substitui a necessidade da emissão da Nota Fiscal de Venda a Consumidor (Modelo 2), bem como dispensa a emissão do cupom fiscal expedido por equipamento Emissor de Cupons Fiscais (ECF).

Vantagens estratégicas adquiridas com o uso da NFC-e

Confira as principais vantagens da adoção da NFC-e.

Redução de custos, mobilidade e flexibilidade operacional

A integração ao ERP da empresa representa uma redução de custos considerável devido ao aumento na agilidade dos processos de diversos departamentos. Os funcionários, anteriormente alocados em tarefas de formatação de planilhas e conversão de arquivos ou emissão de notas, poderão agora ser alocados para cargos mais estratégicos, gerando um incremento na produtividade.

Praticidade tecnológica nas transações de vendas

Além de simplificar a elaboração de relatórios consolidados, a emissão de notas fiscais eletrônicas reduz significativamente os gastos com papel e o espaço necessário para o arquivamento de documentos físicos.

Com a obrigatoriedade da emissão da NFC-e, o número de empresas de software que desenvolvem soluções para essa necessidade aumenta cada vez mais, dando ao contribuinte uma variedade de possibilidades no momento da escolha do aplicativo comercial mais adequado às suas necessidades.

É possível, por exemplo, adquirir sistemas que permitem a emissão de nota fiscal sem a necessidade de carregar qualquer impressora fiscal, simplificando o processo com o uso de tablets e smartphones em sistemas integrados. Situações como essa são muito úteis para agilizar a apuração do faturamento das equipes de vendas externas praticamente em tempo real.

Requisitos para a implementação da emissão de NFC-e

Trata-se de um projeto de implantação nacional e sua adesão deverá ser feita conforme as normas e cronogramas estipulados pelas secretarias da fazenda de cada unidade federativa. Porém, os seguintes requisitos técnicos são padrão:

  • conexão com a internet;
  • certificado Digital A1;
  • software ou ERP emissor de Notas Fiscais eletrônicas;
  • código de Segurança do Contribuinte (CSC), credenciado pelo contador;
  • token para autenticação e emissão do DANFe, quando necessário.

Como foi possível notar, a integração de uma empresa ao SPED requer conhecimento contábil e tecnológico específico.

Ao planejar com antecedência, o gestor não onera inesperadamente o orçamento empresarial, fazendo com que todas as transições necessárias ocorram em tempo hábil, sem comprometer as operações e a lucratividade do negócio.

Se você precisa de auxílio para essa nova etapa ou quer encontrar soluções como a NFC-e para sua empresa, entre em contato conosco!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *