Confira o que é rateio de custos e a sua importância - Blog Progresso Contabilidade Confira o que é rateio de custos e a sua importância - Blog Progresso Contabilidade

Confira o que é rateio de custos e a sua importância

Por meio do rateio de custos, você aumenta o controle sobre os gastos do negócio e analisa com mais precisão o uso dos recursos financeiros. Saiba mais!

Confira o que é rateio de custos e a sua importância

Para que uma empresa possa ter bons resultados financeiros, realizar um controle eficiente dos seus custos é um fator fundamental. Para isso, uma das práticas que podem ser empregadas é o rateio de custos.

Embora essa seja uma ferramenta estratégica para os negócios, não é incomum que gestores de Pequenas e Médias Empresas (PMEs) desconheçam essa prática. Se você se identifica com essa situação, acompanhe esse conteúdo até o final para aprender o que é rateio de custos e entender sua importância, além de descobrir como ele é feito.

O que é Rateio de Custos

Rateio de custos é a prática de separar os custos que existem na empresa, de maneira proporcional e de acordo com seus elementos, como projetos e processos de produção. 

Um exemplo disso é a separação dos custos da empresa com marketing entre os vários projetos, de acordo com o quanto cada um deles consumiu. Assim, torna-se mais fácil visualizar quais projetos geraram mais custos de marketing em um determinado período.

É importante notar que rateio de custos não é uma simples classificação dos gastos.

Uma classificação seria dizer que R$ 10 mil foram gastos com anúncios de internet. O rateio de custos diz que, dos R$ 10 mil gastos com anúncios de internet, o projeto A consumiu R$ 2 mil, o projeto B consumiu R$ 3 mil e o projeto C consumiu R$ 5 mil.

Porque fazer o Rateio de Custos

A prática do rateio de custos traz benefícios importantes para as empresas, sendo que o principal deles é o maior controle sobre os gastos. Ele permite analisar de maneira mais precisa para onde os recursos financeiros estão sendo direcionados.

Além disso, ao comparar os custos de cada projeto, por exemplo, e a receita que eles geraram, fica mais fácil avaliar quais estão trazendo um retorno adequado.

Suponha que um certo projeto desenvolvido na sua empresa é responsável por uma parte significativa dos custos, mas não gera um valor compatível em receita. Sem o rateio, talvez esse fato passe despercebido, pois você não tem a dimensão real do quanto é gasto com esse projeto. 

Por outro lado, com o rateio de custos, você conseguirá dar o primeiro passo, que é identificar o problema. Assim, torna-se possível adotar soluções, seja encontrando formas de aumentar a rentabilidade do projeto ou optando pelo seu cancelamento.

No caso do rateio entre produtos, uma grande vantagem é que ele ajuda a corrigir a precificação. Assim, assegura-se que cada produto seja vendido por um valor que vai efetivamente gerar lucro.

Como é feito o Rateio de Custos

Agora vamos entender, de forma simplificada, como é feito o rateio de custos. Para isso, o primeiro passo é entender os conceitos dos tipos de custos.

Existem quatro categorias de custos: 

  • custos fixos: não são afetados pelo volume de produção e venda; por exemplo, o valor do aluguel;
  • custos variáveis: dependem do volume de produção e venda; por exemplo, o gasto com compra de matérias-primas;
  • custos diretos: afetam apenas uma linha de produção;
  • custos indiretos: afetam mais de uma linha de produção.

Dentre esses tipos de custos, os únicos que realmente precisam ser rateados são os fixos e os indiretos, porque eles não estão claramente associados a um elemento específico dentro das atividades da empresa.

Não é difícil saber quanto foi gasto em matéria-prima para o produto A e para o produto B; no entanto, o aluguel não está associado especificamente a nenhum deles e, portanto, precisa ser rateado entre os dois segundo um critério objetivo.

Isso nos leva ao segundo passo, escolher o método de rateio de custos. Existem diferentes métodos, cada um com seu próprio critério:

  • rateio por absorção: é, possivelmente, o mais utilizado. Ele simplesmente divide os custos igualmente entre os elementos (projetos, produtos, linhas de produção) considerados; 
  • rateio por headcount: é mais aplicado no rateio entre projetos. Ele usa o número de pessoas envolvidas na equipe como critério para estabelecer a proporção no rateio;
  • rateio por atividade: um pouco mais complexo, pois leva em consideração o nível de atividade como critério para estabelecer a proporção;
  • o rateio por faturamento: é mais aplicado no rateio entre produtos, pois considera o faturamento gerado por cada um deles para estabelecer a proporção.

Uma vez definidos quais são os custos que precisam ser rateados e o critério adotado, o passo final é fazer o levantamento deles e começar a separação. Para isso é fundamental que a empresa tenha a contabilidade em dia.

Neste artigo, você conheceu uma nova ferramenta para aprimorar a gestão financeira do seu negócio, o rateio de custos. Adotando esta prática, você poderá fazer análises mais precisas dos resultados e do desempenho financeiro, tendo como consequência a tomada de decisões mais assertivas.

Leve essa informação a mais gestores de PMEs. Compartilhe este conteúdo nas redes sociais!