Tirar a empresa do vermelho

Tirar a empresa do vermelho? Descubra 5 dicas essenciais

Tirar a empresa do vermelho é algo que deve ser feito com urgência e com planejamento. Caso contrário, as dívidas se acumulam e se tornam uma imensa bola de neve. Mas não é isso o que queremos, não é mesmo?

Saber lidar com situações dessa seriedade faz toda a diferença na hora de reerguer o seu negócio. Por isso, neste post, vamos mostrar 5 dicas essenciais para tirar a sua empresa do vermelho.

Caso ela não tenha chegado a esse ponto, as orientações são importantes para você prevenir o problema. Continue a leitura para saber mais!

1. Identifique qual é o problema

Antes de qualquer coisa, é importante que você identifique qual é o problema que tem prejudicado a saúde financeira do seu negócio. Muitas empresas não conseguem sair do vermelho porque ignoram, por exemplo, os serviços contábeis ou as mudanças do mercado e da concorrência.

Dessa forma, identificam os problemas errados, deixando de perceber aquilo que realmente está impedindo seu crescimento.

A resposta mais efetiva para sanar as contas será aquela que tratar mais pontualmente a causa corretamente identificada. Pode ser o momento de fazer um novo planejamento das finanças ou de propor uma reestruturação do modelo de negócio.

2. Corte os gastos desnecessários

Identificado o problema, agora é hora de reduzir os custos, principalmente de tudo o que não é prioridade. A gestão do negócio nesse momento envolve a redução de recursos internos (por exemplo: cada pequena economia pode ser controlada de perto sem afetar a essência do negócio).

Nessa hora, a gestão de pessoas com foco na economia pode colaborar para o engajamento da equipe, que também pode sugerir alternativas para melhoria de processos e consequente redução dos gastos.

Outra maneira de cortar gastos é fazer uma pequena reestruturação no quadro de funcionários e nas funções desenvolvidas por cada um deles. Isso não necessariamente significa fazer demissões, mas sim rever cargos e o escopo de trabalho deles, fazendo alterações e adaptações.

3. Contrate uma consultoria contábil

Apesar dos anos de experiência no mercado, muitas vezes o gestor não tem todo o conhecimento sobre a rotina contábil da empresa e, por isso, não consegue identificar nem solucionar o problema.

Nesse caso, contratar uma empresa que ofereça soluções contábeis se torna uma necessidade. Pode parecer contraditório investir em serviços terceirizados no momento em que a contenção de gastos é a palavra de ordem.

Mas é importante perceber que esse tipo de consultoria é especialista em fazer do seu problema uma solução efetiva — ou seja, na verdade é um investimento. Uma empresa contábil poderá tanto identificar problemas como propor soluções e formas de cortar custos e fazer investimentos.

4. Verifique o seu fluxo de caixa

Analise quais são as suas despesas fixas e quais são os ativos que você ainda vai receber; mensure o máximo que puder. Ao fazer isso, será possível detectar se o seu saldo vai continuar no vermelho.

Para uma análise eficaz, é necessário que você conheça a fundo as suas finanças, identificando pela contabilidade a variação do orçamento em dado período. Assim, você poderá se aproximar da melhor projeção orçamentária para se posicionar de maneira mais eficiente nas negociações.

5. Parcele ou negocie as suas dívidas

Procure os credores para acordar formas de pagamento condizentes com a realidade do seu negócio. Há casos em que as instituições financeiras abrem negociações diferenciadas para o setor de empreendedorismo.

Como exemplo recente, temos a Receita Federal, que liberou o parcelamento de débitos para contribuintes do Simples Nacional em até 120 meses. Ao ficar em dia com a tributação da União, a sua empresa pode evitar processos de execução fiscal e comprometimento dos bens.

6. Resista às soluções milagrosas

É provável que você não tire a empresa do vermelho da noite para o dia. Por isso, desconfie de fórmulas e soluções que prometam fazer isso de maneira muito rápida. Afinal, existe um tempo mínimo para recuperação, de acordo com a sua área de negócio.

Este é o caso de empréstimos facilitados. A verdade é que está cada vez mais simples abrir créditos para pessoas físicas e jurídicas. Antes de optar por algum, analise as condições de pagamento, os juros e as parcelas.

7. Não misture as suas finanças

Em um momento de desespero, é comum que o empresário, principalmente o pequeno empreendedor, utilize o seu dinheiro pessoal para quitar dívidas da empresa e vice-versa. Mas isso pode ser fatal para um dos lados. Ou pior: para ambos!

Por mais que seja tentador, nunca misture as finanças, pois isso pode comprometer ainda mais a saúde financeira da sua empresa, além de colocar a sua subsistência em risco. O melhor é manter todas as contas separadas e, por fim — se de fato não conseguir tirar a empresa do vermelho —, poderá retomar a sua vida de outra forma.

8. Faça parcerias estratégicas

Se você acha que vai ser muito difícil tirar a empresa do vermelho sozinho, que tal encontrar alguns parceiros? A estratégia adotada dependerá do seu modelo de negócio, mas uma parceria pode ser usada para expandir ou ganhar mercados, reduzir custos ou mesmo para resolver um problema.

É o caso dos parceiros que podem completar o seu serviço, oferecem uma solução de logística ou possui um serviço diferente, mas com uma carteira de clientes semelhante à sua. Vocês podem trocar informações, e ambos podem se beneficiar.

9. Estabeleça metas e planos novos

Por fim, destacamos que nada disso não adiantará se você não rever todos os seus planos e as suas metas. O futuro da sua empresa depende da sua capacidade de rever os erros e as decisões do passado e de tomar decisões mais assertivas no presente.

Assim, utilize todos os dados já recolhidos a partir da análise feita para identificar o problema e construa indicadores que possam ser usados para avaliar os resultados alcançados com as mudanças estabelecidas. A partir daí, dá para construir metas reais, com base no que pode ser atingido depois de realizadas melhorias.

Essas metas devem ser monitoradas de perto e, se necessário, redefinidas ao longo do trajeto. O importante é que elas sempre se mantenham realistas e alinhadas às possibilidades de mercado. Ou seja, não adianta criar metas muito ambiciosas se elas não condizem com a situação do cenário econômico.

Agora que você já sabe o que fazer, essa é uma ótima oportunidade para se organizar e tirar a empresa do vermelho! Para isso, conte sempre com os parceiros certos e saiba aproveitar o momento certo para tomar decisões.

Gostou das nossas dicas? Quer saber mais sobre como melhorar a gestão da sua empresa e conhecer soluções diferenciadas? Então assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos como este!

Facebook Comments

Contador e empresário há 27 anos no setor, tem como principal característica, a inovação e a transformação da prestação de serviços contábeis, com foco no resultado de seus clientes. Transformador, investe em infraestrutura, na valorização de sua equipe e no desenvolvimento de novas tecnologias, valorizando a mente, a gestão e os resultados de todos os envolvidos, equipe, clientes e fornecedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *