Preparamos um artigo com as principais normas que devem ser seguidas para o ano-calendário 2018

Novas normas contábeis para 2018: esteja preparado para as mudanças

Os últimos anos foram de grandes mudanças para quem trabalha no ramo da contabilidade, sobretudo por conta do fim do Regime Tributário de Transição, mais conhecido como RTT. A Lei nº 11.638/07 ficou vigente por quase 10 anos, até que o Governo Federal editou a regra que deu início ao regime unificado (Lei nº 12.973/14).

Nesse contexto, conhecer as normas contábeis para 2018 é essencial para que uma empresa possa ter sucesso e excelência em termos de gestão. Apesar da complexidade do tema, existem algumas regras simples que podem auxiliar no aprendizado sobre o que muda e o que se mantém para os próximos anos.

Pensando nisso, preparamos um artigo com as principais normas que devem ser seguidas para o ano-calendário 2018. Acompanhe e tire suas dúvidas!

O entendimento das mudanças

A maioria das normas começa a valer a partir de 1 de janeiro de 2018, por isso, é de suma importância que os profissionais da área contábil estejam cientes de todas as principais mudanças que vão ocorrer.

Aos empresários, é necessário se certificar de que, no momento em que contratar uma empresa especializada em soluções contábeis e fiscais, ela esteja ciente e atualizada sobre todas as mudanças da norma, a fim de entender e prevenir de quaisquer mudanças no negócio.

Para ficar mais claro de entender o impacto das mudanças, separamos as principais e destacamos a diferença entre como é regida a norma hoje e como será em 2018.

O reconhecimento de receita

De acordo com a legislação atual, em regra geral a receita é reconhecida no momento da transferência dos riscos e dos benefícios. Nesse sentido, alguns Comitês de Pronunciamento Contábeis que definem e regulamentam a regras de reconhecimento de receita — CPC 30 (R1) e CPC 17 (R1) — ficam vigentes até dia 31 de dezembro deste ano.

Com o novo CPC, todos os principais pronunciamentos que abrangem o reconhecimento de receita serão unificados. Essa mudança impactará em avaliar a receita no momento da transferência dos riscos e benefícios para o instante em que for firmada a obrigação com o cliente.

As regras para reconhecimento, mensuração e divulgação de instrumentos financeiros

Atualmente as demonstrações contábeis avaliam instrumentos financeiros com base em 4 critérios de classificação. Isso depende do recurso e da finalidade que são dadas a ele. São eles:

  • empréstimos e recebíveis;
  • instrumentos avaliados pelo valor justo com base no resultado;
  • disponíveis para venda;
  • mantidos até o vencimento.

Com isso, o valor justo dos ativos era, até 2017, reconhecido por essas classificações. Entretanto, as novas normas contábeis para 2018 trouxeram uma análise diferente em relação ao tema.

Agora tudo passa a ser pautado com base nas características para mensuração do fluxo de caixa contratado em combinação com o modelo de gestão que cada empresa adota. Os principais critérios utilizados passam a ser:

  • custo amortizado;
  • ativo financeiro mensurado a valor justo com base no resultado.

E então, pronto para acompanhar as novas normas contábeis para 2018? Saiba que é muito importante contar com o apoio de profissionais com expertise nesse tema. Aproveite para entrar em contato com a nossa equipe e conhecer mais sobre as soluções que oferecemos para sua empresa!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *