Sucessão em empresa familiar

Sucessão em empresa familiar: Entenda como funciona!

A sucessão em empresa familiar é um processo delicado e que exige uma boa dose de planejamento. Isso porque ela pode envolver diversos interesses pessoais, o que pode resultar em conflitos que levem ao desaparecimento do negócio.

Continue com a leitura deste artigo e saiba como esse processo sucessório pode ser desenvolvido de forma adequada, visando à continuidade e crescimento do empreendimento. Confira!

O processo de sucessão em empresa familiar

Por empresa familiar podemos entender aquela em que seu fundador ocupa um papel marcante em todos os seus aspectos administrativos e gerenciais — ele é o principal tomador de decisões na organização.

Desse modo, sua presença está fortemente associada aos valores já consolidados pela firma, o que envolve inclusive sua imagem no mercado em que atua. E aqui surge o problema da sucessão em seu comando — seja em razão de aposentadoria, problema de saúde ou outro motivo qualquer que leve à necessidade dessa substituição.

Assim, o ideal é que o procedimento seja planejado com antecedência, enquanto o atual líder ainda está em atividade. Isso é importante inclusive para evitar que a empresa desapareça, seja em razão de conflitos familiares ou mesmo de uma nova gestão que se mostre problemática.

A necessidade de um plano sucessório

O plano de sucessão precisa ser elaborado pelo atual sócio responsável pela direção da instituição, principalmente pelo fato dele possuir um profundo conhecimento dos negócios que fundou.

Ainda, o potencial sucessor na liderança empresarial não pode ser qualquer pessoa da família, mas sim aquele que apresente um perfil e competências adequadas para essa função — capacidade de liderança, carisma e conhecimentos técnicos. Por outro lado, ele deve ser treinado e buscar conhecer os assuntos da firma antes de assumir o posto.

Pode-se criar um conselho de administração que envolva os familiares interessados no empreendimento, visando, dentre outras coisas:

  • criar um ambiente de diálogo para contornar conflitos;
  • estabelecer regras e obrigações, bem como os direitos de cada novo sócio ou membro da administração (por exemplo, a participação no capital social e na distribuição de lucros e a fixação de pró-labore);
  • desenvolver uma mentalidade que permita distinguir os assuntos familiares daqueles relacionados ao empreendimento.

Para que tudo isso funcione adequadamente, é necessário que as partes envolvidas estejam comprometidas com a continuidade e crescimento da empresa, com seus valores e missão, bem como em relação a seus objetivos — o que não impede, por certo, a inovação quanto às técnicas administrativas, produtos e serviços fornecidos, elaboração de novas estratégias comerciais e de marketing etc.

A importância de uma consultoria contábil

A sucessão familiar poderá se beneficiar de uma assessoria contábil especializada, seja no treinamento adequado dos novos membros da administração, seja em aspectos legais.

Isso porque os sucessores precisarão de conhecimentos relativos a finanças, técnicas de gerenciamento, contabilidade, recursos humanos, vendas etc. A atual dinâmica e complexidade do mundo empresarial exige uma gestão profissional, independentemente do porte da empresa.

Por outro lado, não há uma lei ou um código legal que cuide especificamente desse tema. Ao contrário, ele é tratado em diversas normas espalhadas, principalmente no direito civil e comercial, sendo esse mais um motivo para se buscar os serviços de especialistas na área.

Como foi visto, a sucessão em empresa familiar pode se desenrolar de forma tranquila, mas também de modo traumático, dependendo dos cuidados prévios que venham a ser tomados.

Se você precisa de mais informações sobre esse e outros assuntos relacionados à contabilidade e à administração, entre em contato conosco e saiba como poderemos ajudá-lo. Estamos à sua disposição!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *