Saiba boas práticas para manter o controle do fluxo de caixa impecável!

Descubra como ter um controle do fluxo de caixa impecável

Por princípio, o empreendedor é um sonhador em sua essência. Não por acaso, isso o move a cruzar a fronteira do trabalho assalariado. Entretanto, passada a lua de mel inicial, o empresário pode ver seu próprio negócio se tornar um pesadelo.

Assim sendo, não raramente, ele utiliza todos os recursos que duramente acumulou ao longo da vida e aposta suas fichas a fim de que sua iniciativa vença e propicie uma melhor qualidade de vida para si e para sua família. Nesse contexto, você já conheceu alguma PME lucrativa que não tivesse controle do fluxo de caixa?

De acordo com estudos do SEBRAE, os empreendedores apontam que cerca de 5 em cada 10 empresas fecham por falta de controle do fluxo de caixa. O dado nos revela que as PMEs encerram suas atividades pela ausência de uma gestão adequada para seus recursos. Assustador, ao considerarmos que é possível fazer um planejamento apropriado. E passa pelas mãos do gestor como administrar essa temática.

O fluxo de caixa é essencial para dar suporte nas tomadas de decisão como: investimentos, inovação, treinamentos, entre outros. Portanto, reflita: como está seu controle do fluxo de caixa hoje? Você está com a gestão nas mãos? Sua empresa está preparada para fazer investimentos e tornar-se ainda mais sustentável?

Se, por acaso, você não tem as respostas para essas perguntas, fique tranquilo! Este artigo abordará boas práticas de tal forma que você possa manter um fluxo de caixa impecável. Venha conosco e aproveite a leitura!

Registre e categorize todas as movimentações

O pontapé inicial é fazer uma avaliação detalhada de como estão as movimentações do empreendimento. Aglutine todos os saldos a pagar e a receber (banco, clientes, fornecedores etc). Assim, você terá uma noção inicial para seu planejamento. Qualquer movimento deve ser registrado.

Logo depois, categorize as receitas e as despesas. Contas de água, de luz, de telefonia e de internet podem estar num grupo. Já folha de pagamento e impostos devem ser colocados em outras classes. Essa ação será muito útil especialmente na emissão de relatórios para seu processo decisório.

Mantenha um controle periódico

Sabe o ditado popular que diz: “O olho do dono é que engorda o gado”. Aplica-se perfeitamente ao controle do fluxo de caixa. Com as movimentações atualizadas e categorizadas, você pode avaliar constantemente. Esse acompanhamento vai ajudá-lo, inclusive, na gestão dos detalhes. Você deve conhecer o destino de cada centavo aplicado. Assim sendo, o ideal é que olhe, ao menos, uma vez ao dia.

Seja realista ao avaliar o capital de giro

Nessa esfera, seja prudente. Deixe o otimismo de lado e observe a realidade. Trabalhe com relatórios precisos e analise os dados. Será que não é o momento de rever algum contrato de fornecimento ou com cliente? Tem margem para contratar um treinamento e aumentar a produtividade?

Uma das formas de garantir um bom capital de giro é gerir bem seus estoques. Inventários periódicos e controle dos níveis de insumos são práticas constantes a realizar.

Planeje o curto e o longo prazo

Agora, já com um controle do fluxo de caixa adequado, visite o hoje e o amanhã. Faça um fluxo de caixa projetado, visando propiciar uma visão do comportamento das finanças da empresa nos próximos períodos. Por mais difícil que possa ser, tome as decisões que forem necessárias.

Diferencie as contas pessoais das do negócio

Muitas vezes, é comum o empreendedor misturar tudo num só cesto. Contudo, isso caracteriza-se como um grande passo para o descontrole. Por isso, nesse quesito, uma boa prática é estabelecer um pró-labore e administrá-lo com coerência.

Então, gostou do nosso artigo sobre controle do fluxo de caixa? Aproveite, assine nossa newsletter e mantenha-se sempre atualizado sobre os nossos conteúdos! Até a próxima!

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *